armazenar

1.   A primeira dica é sempre que puder, escolha garrafas que estão deitadas. Nelas, o vinho está em contato com a rolha, o que garante maior umidade e menor quantidade de entrada de ar. Você comprará um vinho com melhores aromas e sabor.

2.  Verifique o estado de conservação da cápsula e da rolha. A cortiça não pode estar saltada. A rolha sempre está alinhada ou um pouco abaixo da boca da garrafa. Se a rolha estiver saltada, o vinho já era. Normalmente, isto acontece porque houve algum tipo de pressão dentro da garrafa, por fermentação interna.

3.  Verifique a quantidade de bebida na garrafa. E não é para ter certeza que está levando o máximo que consegue. Um espaço muito grande entre a rolha e o começo do líquido pode ser um sinal de que está vazando.

4.  Cheque a cor do vinho, principalmente os brancos. Amarelo-escuro nestes pode indicar oxidação; se estiver na cor âmbar, evite. Um tinto de safra recente de cor alaranjada (uma característica dos tintos mais evoluídos) também é sinal de problema.

5.  Os vinhos têm safras, e não há motivos para os produtores não colocarem esta informação no rótulo. Se não colocou, a probabilidade da bebida misturar várias safras na intenção de resolver problemas é grande, o que piora a qualidade final. E fique atento às safras. Tintos mais básicos, assim como os rosés e grande parte dos brancos devem ser servidos jovens, em no máximo três a quatro anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *